domingo, 7 de abril de 2019

Questões resolvidas de Ciências 8º ano - Alimentos e nutrição



Questões - alimentos e nutrição


·         1) O que é metabolismo?

É o conjunto de fenômenos químico e físico-químico, para a assimilação das substâncias necessárias à vida, nos animais e nos vegetais ocorrendo a mudança da natureza molecular dos corpos com a transformação química das substâncias.

·         2) Diferencie alimentos plásticos de reguladores.

Plásticos: são aqueles que se destinam a formar o nosso organismo, promovendo seu crescimento e a substituição das perdas que ele sofre. Já os reguladores são os alimentos que atuam regulando as reações químicas que ocorrem dentro das células ou no material intercelular, sendo os responsáveis pelo funcionamento harmônico do organismo, entre eles estão as vitaminas e os sais minerais.

·         3) Caracterize os alimentos energéticos.

caracterizam por fornecerem a energia para o organismo através da queima de moléculas.




·         4) Exemplifique alimentos energéticos.

Os glicídios como amido e açucares, ou carboidratos que são alimentos energéticos por excelência.

·         5) Como são compostas as proteínas?
 Proteínas são substâncias orgânicas nitrogenadas, aminoácidos com elevado peso molecular, compostas de carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio e, muitas vezes, fósforo e enxofre.

·         6) Onde podemos encontrar as proteínas?

 As proteínas do leite, as proteínas do ovo, a proteína da soja, a proteína da castanha-do-pará.

·         7) Qual é a importância da água para o organismo?

A Água é um alimento indispensável, pois é um dos mais importantes componentes na matéria viva. No citoplasma de todas as células, no plasma sanguíneo, na linfa, nos sucos digestivos, no líquido lacrimal, na saliva, na bile, a água é o principal componente, de tal sorte que 60% do peso de um adulto é representado pela água.

·         8) De que forma a água atua no sistema regulador?

Ela regula a temperatura do corpo na pele durantes a transpiração sob a forma de suor e que, pela evaporação, retira do corpo e excesso de calor.






terça-feira, 27 de novembro de 2018

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Benefícios que o silêncio proporciona ao seu cérebro e a sua saúde mental



4 benefícios que o silêncio proporciona ao seu cérebro e a sua saúde mental

                     O silêncio ajuda o cérebro a descansar, colabora com a aprendizagem, fortalece a área responsável pela memória e emoção. De quebra, proporciona o autoconhecimento, já que estimula a reflexão.

1. Memória, emoção e aprendizagem
Um estudo realizado em 2013 com ratos de laboratório mostrou que os animais que passaram duas horas por dia em sob silêncio acabaram desenvolvendo novas células no hipocampo, região do cérebro associada à memória, emoção e aprendizagem.

2. Autoconhecimento e comportamento reflexivo
O silêncio ainda é capaz de trazer melhor autoconhecimento por permitir com mais facilidade o comportamento reflexivo. Pesquisas indicam que a falta de som ajuda o cérebro a descansar, fazendo com que seja capaz de assimilar melhor informações internas e externas.

3. Calma e tranquilidade
Excesso de ruídos pode ter um efeito físico relevante no cérebro, resultando em níveis elevados de hormônios do estresse. Quem vive em um ambiente barulhento tem maiores chances de experimentar níveis cronicamente elevados de esgotamento e estresse. Ou seja, o silêncio evitaria esses problemas, proporcionando calma e tranquilidade.

4. Melhor desempenho em tarefas
A ciência também já observou que a poluição sonora pode ter efeito sobre o desempenho de tarefas cognitivas. O excesso de barulho prejudica até mesmo as crianças, refletindo em piores resultados na escola, de acordo com estudos.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Razão e Proporção




Razão e Proporção

Na matemática, a razão estabelece uma comparação entre duas grandezas, sendo o coeficiente entre dois números.
Já a proporção é determinada pela igualdade entre duas razões, ou ainda, quando duas razões possuem o mesmo resultado.
Note que a razão está relacionada com a operação da divisão. Vale lembrar que grandezas são proporcionais quando existe duas razões entre elas.
Ainda que não tenhamos consciência disso, utilizamos cotidianamente os conceitos de razão e proporção. Para preparar uma receita, por exemplo, utilizamos certas medidas proporcionais entre os ingredientes.
Atenção!

Para você encontrar a razão entre duas grandezas, as unidades de medida terão de ser as mesmas.
Exemplos

A partir das grandezas A e temos


o denominador for igual a 100, temos uma razão do tipo porcentagem, também chamada de razão centesimal,



Além disso, nas razões, o coeficiente que está localizado acima é chamado de antecedente (A), enquanto o de baixo é chamado de consequente (B).







Exercícios Resolvidos
1. Calcule a razão entre os números:
a) 120:20
b) 345:15
c) 121:11
d) 2040:40

Respostas
a) 6
b) 23
c) 11
d) 51












quinta-feira, 16 de março de 2017

Questões - Cinemática

Velocidade:
1. Um macaco que pula de galho em galho em um zoológico, demora 6 segundos para atravessar sua jaula, que mede 12 metros. Qual a velocidade média dele?
S=12m
t=6s


v=?
2. Um carro viaja de uma cidade A a uma cidade B, distantes 200km. Seu percurso demora 4 horas, pois decorrida uma hora de viagem, o pneu dianteiro esquerdo furou e precisou ser trocado, levando 1 hora e 20 minutos do tempo total gasto. Qual foi a velocidade média que o carro desenvolveu durante a viagem?
S=200km
t=4h
v=?



Mesmo o carro tendo ficado parado algum tempo durante a viagem, para o cálculo da velocidade média não levamos isso em consideração.

3. No exercício anterior, qual foi a velocidade nos intervalos antes e depois de o pneu furar? Sabendo que o incidente ocorreu quando faltavam 115 km para chegar à cidade B.
  • Antes da parada:
S= 200-115=85km
t=1hora
v=?



  • Depois da parada:
S= 115km
t= 4h-1h-1h20min= 1h40min=1,66h (utilizando-se regra de três simples)
v=?




4. Um bola de basebol é lançada com velocidade igual a 108m/s, e leva 0,6 segundo para chegar ao rebatedor. Supondo que a bola se desloque com velocidade constante. Qual a distância entre o arremessador e o rebatedor?
Se isolarmos o S:








5. Durante uma corrida de 100 metros rasos, um competidor se desloca com velocidade média de 5m/s. Quanto tempo ele demora para completar o percurso?
Se isolarmos t:











Movimento Uniforme:
1. Um carro desloca-se em uma trajetória retilínea descrita pela função S=20+5t (no SI). Determine:
(a) a posição inicial;
(b) a velocidade;
(c) a posição no instante 4s;
(d) o espaço percorrido após 8s;
(e) o instante em que o carro passa pela posição 80m;
(f) o instante em que o carro passa pela posição 20m.

Comparando com a função padrão:
  




(a) Posição inicial= 20m
(b) Velocidade= 5m/s

(c) S= 20+5t
S= 20+5.4
S= 40m

(d) S= 20+5.8
S= 60m





(e) 80= 20+5t
80-20=5t
60=5t
12s =t

(f) 20= 20+5t
20-20= 5t
t=0

2. Em um trecho de declive de 10km, a velocidade máxima permitida é de 70km/h. Suponha que um carro inicie este trecho com velocidade igual a máxima permitida, ao mesmo tempo em que uma bicicleta o faz com velocidade igual a 30km/h. Qual a distância entre o carro e a bicicleta quando o carro completar o trajeto?
  • Carro:
S=10km
v=70km/h
t=?
S=70t
10=70t
0,14h=t
t=8,57min (usando regra de três simples)
  • Bicicleta
O tempo usado para o cálculo da distância alcançada pela bicicleta, é o tempo em que o carro chegou ao final do trajeto: 
t=0,14h
v=30km/h
t=0,14h
S=?
S=0+30.(0,14)
S=4,28Km



domingo, 12 de março de 2017

quinta-feira, 2 de março de 2017

PESSOAS SIMPÁTICAS



Já reparou com certeza no fato de existirem pessoas mais simpáticas do que outras. Existem certamente à sua volta exemplos de pessoas afáveis, com as quais ocorreu a empatia de forma quase automática, do mesmo modo que existem pessoas que, sem nunca o terem propriamente maltratado, o fazem dizer "Não vou com a cara dele (a)". Já parou para pensar no que distingue estas pessoas? E, já agora, em que categoria se encaixa o leitor?

Considera-se uma pessoa simpática?

Não me refiro à imagem que as pessoas próximas têm de si, mas a uma análise mais objetiva e global.

Condicionados pela excesso de pressa e dos deveres do dia-a-dia, são poucas as vezes em que paramos para pensar no nosso próprio comportamento, nos gestos mais simples, na forma como diariamente lidamos com os outros. Limitamo-nos a reclamar a ausência de um sorriso do funcionário que nos atendeu na repartição pública ou a queixar-nos da rudeza do empregado do restaurante, sem que nos demos ao trabalho de olhar para a nossa própria linguagem não verbal.

Afinal, quantos de nós poderíamos afirmar com segurança que somos pessoas simpáticas? E por que é importante sermos simpáticos?

Definitivamente, ser simpático é mais do que um sinal de boa educação e respeito pelos outros. É também um sinal de inteligência emocional, da capacidade para nos descentrarmos de nós mesmos e de competências sociais que nos permitem criar laços. Lembre-se da última vez em que alguém o surpreendeu com um cumprimento ou um gesto de simpatia. Como é que se sentiu? E o que é que sentiu em relação à pessoa em causa? Que importância teve aquele pequeno gesto? Agora reflita no sentido inverso - lembre-se da última vez em que foi genuinamente simpático com alguém. Como é que se sentiu? O que observou no comportamento do seu interlocutor? Que importância teve o seu pequeno gesto?

Ser simpático pode passar por cumprimentar os colegas com um sorriso verdadeiro, tocar no braço de alguém que tropeça à sua frente e perguntar se está tudo bem, responder ao apelo de um familiar em vez de encolher os ombros... seja qual for o gesto, o resultado é quase sempre o mesmo: quando somos simpáticos criamos bem-estar e segurança a quem está do outro lado. Simultaneamente, sentimo-nos melhor conosco, mais seguros, mais confiantes, como se o fato de agradar conscientemente aos outros fosse uma forma de gratificação. Mas a verdadeira gratificação advém do sentimento de propriedade que se cria, nomeadamente entre pessoas que se cruzam diariamente, seja em contexto familiar, seja em contexto profissional. Quando somos simpáticos e criamos a tal segurança nos outros, permitimos que essas pessoas baixem a guarda e se sintam à vontade para se revelar. Por outro lado, criamos uma espécie de reserva afetiva que permite que quem está à nossa volta seja genericamente mais tolerante com as nossas falhas, em vez de assumir respostas impulsivas, reativas e agressivas.

Para avaliar/ treinar a sua simpatia siga alguns passos:
- Lembre-se da última vez em que alguém se mostrou preocupado consigo, com o seu bem-estar.
- Lembre-se de um momento em que alguém tenha sido simpático consigo.
- Lembre-se de um momento em que tenha sido simpático com outra pessoa.
- Tente visualizar a postura, os gestos, os movimentos e a expressão facial de uma pessoa que você conhece e que é, aos seus olhos, genuinamente simpática.
- Relaxe o seu corpo, sorria e estabeleça contato visual com quem está à sua volta.
- Seja autêntico.
Ser simpático para alguém não significa ser amigo dessa pessoa, nem sequer concordar com tudo o que ela diz ou faz. Mas faz toda a diferença quando substitui a atitude irritável, o ar zangado e a indisponibilidade que tantas vezes levamos para o trabalho.

Quando, pelo contrário, cada um dá o seu melhor no sentido de mostrar atenção, disponibilidade, simpatia e carinho aqui e ali, as transformações são encantadoras. Experimente!